Canudo? Diga não!

706 Visualizações

Vamos dizer NÃO aos canudos, colocar esses pequenos pedaços de plástico no passado e salvar nosso futuro

Quem diria que um simples canudo poderia causar tantos problemas? Mas o planeta que o diga. Você sabia que um canudinho, aquele mesmo que você usou para tomar um refrigerante ontem, leva 500 anos para se decompor na natureza?

Um pouquinho de história….

O canudo se popularizou em 1960, mas sua descoberta foi um pouco antes. Em 1888, quando, para não esquentarem a bebida popular da época ao segurar o copo – o mint julep, feito com uísque e hortelã, tomado bem gelado – os sedentos de plantão usavam canudos feitos com capim (uma alternativa mais natural, diga-se de passagem), mas que deixavam o sabor do líquido… Bom… Com gosto de capim…

O próximo passo para transformar o canudo no que conhecemos hoje foi dado por Marvin Stone. Dono de um fábrica de piteiras, percebeu que o formato semelhante poderia inovar e foi isso o que fez: bolou um canudo de papel, usando um lápis e grandes pedaços de papel. Passou parafina depois de enrolado e, voilá! Largou o ramo de piteiras, investiu no canudinho e criou a primeira máquina de enrolar canudinhos em 1906.

E fazem canudos até os dias de hoje.

Mas canudos e meio ambientem não combinam

Sabia que, só nos EUA, 500 mil canudos são usados e descartados POR DIA? É muito canudo. Se cada um demora 500 anos para decompor, façamos as contas:

500 x 500 = 25 000

Ou seja: a cada dia, são gerados resíduos que demorarão 25 000 anos para decompor.

365 x 25 000 = 91 250 000

Muitos números, não acha? E isso só em um país…

canudo
@BBC

Em prol de mudar esta previsão desanimadora, o canudo está se tornando persona non grata. A Rainha Elizabeth II já decretou e baniu os pedaços de plástico no Reino Unido. E no Brasil isto está perto de acontecer.

No Rio de Janeiro já é uma realidade: vereadores aprovaram a iniciativa de banir canudos de plástico de bares e restaurantes (e sejamos francos: é onde mais os achamos). O projeto de lei ainda tramita pela esfera política, dependendo da sanção do prefeito Marcelo Crivella, mas esta aprovação é uma boa notícia para o meio ambiente. Quem descumprir e fornecer canudinhos pode ser multado em até R$ 3 mil. O apelo popular carioca também ajudou a alavancar o banimento dos canudos: a ONG Meu Rio criou uma petição online que conseguiu 15 mil assinaturas.

Vida marinha agradece

Em 2015, uma imagem viral impactou e ainda impacta: uma tartaruga marinha com um canudo preso em sua narina. O sofrimento dessa tartaruga é sentido por diversas espécies que são impactados com os resíduos produzidos pelo homem e acabam dividindo uma conta injusta.

 

Ainda em 2015, foram estimados um descarte no mar de 10 milhões de toneladas de plástico!

 

canudo
@BBC

Um estudo realizado pela Science, revista acadêmica estrangeira, concluiu que 192 países com território a beira-mar contribuem para este número desanimador. A China ocupa o primeiro lugar na lista, enquanto o Brasil está na 16ª posição.

Os animais confundem o plástico com comida e acabam ingerindo o material. Como não é possível digerir, os animais morrem.

Em junho, uma baleia na Tailândia foi encontrada morta com 8 quilos de plástico, contabilizados após necropsia. Este país também está no ranking dos mais poluentes, sendo um dos que mais usam sacolas plásticas. Anualmente, causa a morte 300 de animais marinhos, entre baleias, tartarugas e golfinhos.